Master Brand

Sete problemas de saúde mais comuns em cães idosos – e como lidar com eles

Compartilhar
Intro Text
À medida que os cães envelhecem, eles podem ficar um pouco esquecidos, sofrer de artrite ou dores e reduzir o nível de atividade. Mesmo assim, os cães idosos podem viver felizes e saudáveis por vários anos. Aqui estão sete possíveis problemas que os cães idosos podem enfrentar e como você pode ajudar a aliviá-los.
Content
Image
cachorro idoso no parque

As necessidades do seu cão começam a mudar à medida que ele envelhece. Cães mais velhos podem engordar e sofrer de uma série de problemas de saúde. Mas, mesmo que ter um animal idoso em casa signifique prestar mais atenção a possíveis problemas de saúde, seu cão poderá ter uma vida plena e ativa por vários anos.

Seu cão será considerado “idoso” dependendo do porte ou da raça. Raças de porte menor geralmente vivem mais, e algumas podem viver quase até os 20 anos. Raças maiores tem menor expectativa de vida, embora tenha aumentado com o avanço na medicina veterinária e podem ultrapassar os 15 anos.

Quando o seu cão atingir a fase em que é considerado idoso, procure os sinais mais comuns de envelhecimento e aja pacientemente com os cuidados necessários. Aqui apresentamos sete problemas mais comuns aos quais você deve ficar atento e como você pode ajudar seu cão a envelhecer bem.

1. Problemas com os dentes

Falta de higiene oral e doenças dentárias podem danificar os dentes, gengivas e até outros órgãos do seu cão idoso. Converse com seu veterinário sobre as melhores maneiras de manter uma boa saúde oral no seu cão idoso, o que inclui:

  • Escovação manual diária;
  • Alimentos para mastigar ou ração seca auxiliam a manter os dentes limpos, mas não substituem a escovação;
  • Limpeza dos dentes no veterinário.

2. Dor e rigidez nas articulações

Osteoartrite, displasia coxo femoral e problemas na coluna são as doenças articulares mais comuns. São degenerativas, evoluem gradativa e progressivamente e não tem cura, mas existe controle. Com tratamento adequado é possível proporcionar ao seu amigo uma excelente qualidade de vida.

Os sintomas incluem: 

  • Atividade reduzida;
  • Relutância em subir escadas;
  • Rigidez e dificuldade para se levantar após o repouso;
  • Ganidos ou choro de dor;
  • Perda de apetite;
  • Alterações no comportamento, como apatia ou agressividade

Existem várias maneiras de aliviar o desconforto mas nunca medique seu animal por conta própria nem use produtos humanos.

  • Suplementos nutricionais- consulte seu veterinário para que ele lhe oriente;
  • Fisioterapia;
  • Perda de peso em caso de animais que estão acima do peso.

Modificação ambiental: rampas, cama acolchoada, massagem nas articulações e estimulação mental com brinquedos que ele gosta.

3. Tumores e inchaços

Os animais, assim como os seres humanos, também podem desenvolver câncer. Ele pode ocorrer em qualquer etapa da vida e o aparecimento de ‘’bolinhas’’ ou aumento de volume em alguma região específica do corpo do seu cão, não deve ser negligenciado. Os tumores de pele são os mais comuns, mas podem surgir em diversos órgãos.

Nem toda ‘’bolinha’’ é preocupante, mas somente o médico veterinário pode confirmar isso após investigar e realizar alguns exames.

Quando se trata de câncer, diagnóstico precoce faz toda a diferença. Por isso, nunca espere crescer ou mudar a aparência do ‘’caroço’’.

Fique atento e na dúvida, leve seu melhor amigo ao médico veterinário.

DICA: se seu cão é peludo, um tumor na pele pode passar desapercebido. Massageie o corpinho, passe suas mãos pelo pescoço e se encontrar algo estranho, fale com seu veterinário.

4. Distúrbio cognitivo

A disfunção cognitiva, ou demência, é uma doença progressiva que pode mudar o comportamento do seu cão idoso. Os sinais desse distúrbio podem incluir:

  • Urinar e defecar dentro de casa;
  • Desorientação (por exemplo, ficar preso em um canto ou ter dificuldade para encontrar a comida);
  • Maior busca por atenção;
  • Acordar à noite e dormir muito durante o dia;
  • Desinteresse por brinquedos e atividade física;
  • Andar em círculos e irritabilidade;
  • Latidos ou ganidos altos, geralmente em horários inapropriados;
  • Ansiedade (especialmente ansiedade de separação);
  • Perda do apetite.

O distúrbio cognitivo não tem cura, mas é possível lidar com a progressão da doença com alterações na dieta e terapia medicamentosa, que deve ser indicada pelo seu veterinário. Também é importante:

  • Levar o cachorro para passear com mais frequência ou providenciar uma área interna para que ele faça suas necessidades;
  • Providenciar estimulação mental com brincadeiras;
  • Ater-se a uma rotina diária para que seu cão se sinta seguro;
  • Evitar escadas sempre que possível, principalmente se o seu cão tiver problema articular.

5. Deficiência visual

Alterações nos olhos do seu cão idoso podem afetar a visão. Sinais comuns de deficiência visual incluem:

  • Esbarrar nas coisas;
  • Não conseguir encontrar a comida ou água;
  • Se assustar facilmente;
  • Aspecto opaco ou embaçado nos olhos.

Na maioria dos cães idosos, as pupilas ficam opacas e turvas com cor cinza-azulada, o que pode ser confundido com catarata. Essa é uma alteração normal no cristalino do olho, relacionada à idade, e geralmente não afeta a visão.

DICA: se seu cãozinho idoso perdeu a visão, evite trocar os móveis de lugar e deixar coisas espalhadas pelo chão. Animais tem uma capacidade incrível de adaptação e seguindo essa dica, seu cão pode conseguir se locomover pela casa!

6. Perda auditiva

Não é incomum cães idosos perderem a audição. Com um pouco de apoio, os cães com perda auditiva podem continuar a ter uma vida plena e feliz. Veja como você pode ajudar um cão com perda auditiva:

  • Sempre mantenha seu cão na coleira quando sair de casa;
  • Alerte o seu cão sobre sua presença quando se aproximar (por exemplo, acenda a luz ou bata no chão);
  • Substitua os comandos verbais por gestos com as mãos; recompense seu cão quando ele responder.

7. Níveis mais baixos de atividade

Você pode notar que seu cachorro está dormindo mais durante o dia, ou ele pode não correr ou brincar tanto quanto antes. Mesmo assim, os cães idosos precisam permanecer ativos para evitar a obesidade e a perda de massa muscular, além de garantir o estímulo mental. Veja como incentivar seu cão a se exercitar:

  • Entenda os limites do seu cão e modifique a intensidade e a duração das atividades dependendo da sua saúde;
  • A natação é uma ótima atividade de baixo impacto para cães idosos;
  • Os cães adoram o desafio de usar seus sentidos para encontrar comida; portanto, seja criativo e esconda parte da comida (por exemplo, debaixo de xícaras, dentro de brinquedos) como uma brincadeira.
Palavras-chave
Compartilhar