Master Brand

Cinco critérios a considerar ao escolher um gato ou cachorro

Compartilhar
Intro Text
Escolher um novo gato ou cão é sempre uma tarefa árdua, mas seguir alguns critérios básicos ajudarão a garantir que você e seu animalzinho tenham uma vida muito feliz juntos.
Content
Image
Gatinho em um balde verde

A escolha de um gato, adulto ou filhote, traz uma grande responsabilidade. Você pode passar 20 anos, ou até mais, com ele! Então, como saber qual gato ou filhote adotar? Aqui vão alguns conselhos úteis para ajudar você a fazer essa escolha.

1. Pense a respeito da sua situação

Você acha que os gatos são animais independentes e flexíveis que se adaptam bem ao seu estilo de vida? Infelizmente, esse não é bem o caso. Você precisará considerar várias coisas antes de escolher seu companheiro. Ele terá acesso a um jardim ou a um espaço externo? Sempre haverá alguém em casa para fazer companhia ou às vezes ele estará sozinho? Há (ou haverá) crianças em casa? Se houver, que idade têm? Você tem cachorros ou outros animais de estimação?

Algumas raças de gatos são mais adequadas do que outras para a vida em apartamento. Outras não aguentam ficar sozinhas, outras se dão melhor com crianças mais novas ou mais velhas... e até com cachorros! É importante fazer algumas pesquisas a fim de garantir que o gato que você adotar seja adequado ao seu estilo e situação de vida.

2. Raça pura ou SRD?

A adoção de uma certa raça de gato, como o persa ou o bengal, pode oferecer certas vantagens. Na verdade, pode permitir que você saiba como será o seu gato quando for adulto. Também lhe dará uma ideia da personalidade do gato e da compatibilidade dele com sua situação pessoal.

Porém, é importante saber que gatos com pedigree têm seu preço, principalmente se você comprar o gato de um criador ou gatil. Eles também podem ter problemas genéticos de saúde – um peso para o seu gato e seu bolso (considere um plano de saúde)! O gato sem raça definida, ou SRD, você pode adotar em locais confiáveis Além do mais, você não precisará buscar muito para encontrar seu futuro companheiro!

3. Adulto ou filhote?

Filhotes são super dóceis e divertidos. Observá-los descobrir o mundo é uma das grandes alegrias para qualquer tutor. No entanto, você deve estar ciente de que os filhotes são bebês e precisam de muito tempo, cuidado e atenção. Se você não tiver tempo, adotar um gato adulto que já esteja acostumado a viver com seres humanos pode ser a melhor alternativa . Com um gato adulto, você já sabe o que esperar e eles, muitas vezes, já sabem como usar a caixa sanitária. O protetor de animais ou antigo tutor do gato pode lhe contar mais sobre a personalidade e as peculiaridades dele, o que ajudará a decidir se são adequados um para o outro. No caso dos gatos, ninguém sabe como eles vão se desenvolver. Embora certas raças tenham traços de personalidade bem conhecidos, você só vai realmente saber o que esperar depois que o gato estiver maduro.

4. Centro de resgate de animais ou criador?

Os centros de resgate de animais estão cheios de gatos adultos e filhotes que estão desesperados para serem adotados. Há muitos benefícios em adotar um gato adulto ou filhote de um centro de resgate, sobretudo a maravilhosa sensação de “salvar” um gato e deixá-lo feliz, oferecendo-lhe um lar e uma nova vida. De forma geral, todos os gatos adultos e filhotes nos centros de resgate são submetidos a exames de saúde,vermifugados e frequentemente, vacinados e castrados. A equipe também lhe ajudará a encontrar o pet ideal.

Se você decidiu que realmente deseja adotar um gato de uma raça específica, a melhor solução é, sem dúvida, procurar um criador ou gatil idôneo. Infelizmente, nem todos os criadores são responsáveis. Aqui está uma lista prática para ajudar você a encontrar profissionais confiáveis na sua área:

  1. Faça uma pré-seleção de criadores localizados perto de onde você mora (ou pelo menos não muito longe!). Consulte comentários e avaliações on-line ou, se possível, recomendações de proprietários da raça em questão.
  2. Faça uma visita a cada um dos criadores da sua lista para conhecê-los pessoalmente e verificar por si mesmo as instalações. Procure sinais de angústia nos gatos, verifique a limpeza do ambiente e fique atento a quaisquer outros sinais de alerta em potencial.
  3. Conheça os pais do filhote. Você deve pelo menos poder conhecer a mãe da ninhada da qual saiu seu gatinho. Isso permitirá que você considere o possível desenvolvimento do seu pet. Pergunte a respeito da saúde do pai e da mãe e se eles passaram por exames para detectar problemas genéticos que geralmente afetam a raça.
  4. Fale com os criadores: profissionais competentes não estão só interessados em vender um filhote e sim em tentar garantir que ele vá para a casa certa. Se o criador não fizer nenhuma pergunta ou não parecer interessado na sua situação, isso pode ser um mau sinal.
  5. Depois de concluir sua pesquisa, você deveria, em teoria, ter conseguido identificar um criador ou gatil apropriado na sua região. Só falta escolher o filhote que você quer adotar...

5. Siga o seu coração!

Seja num centro de resgate ou um criador, você sem dúvida terá muitas opções de gatos adultos e filhotes. Cada gato tem o seu charme. Talvez um filhote encante você com um olhar, ou siga você em busca de carinho. Se for amor à primeira vista, siga o seu coração!

Se, por outro lado, você não conseguir decidir, principalmente se lhe oferecerem uma ninhada, preste atenção nas diferentes personalidades dos filhotes. Se você notar sinais de agressividade em qualquer um deles, é possível que isso se reflita na personalidade futura, embora não seja algo determinante. Da mesma forma, um gatinho tímido pode manter esse traço de caráter pelo resto da vida. Procure um gato que brinque com os irmãozinhos sem ser muito agressivo.

Não importa o gato que você escolher, adulto ou filhote: parabéns! Adotar um gato é uma experiência maravilhosa, que lhe trará muita felicidade. Sua vida nunca mais será a mesma... Mas não esqueça que, embora os gatos sejam ótimos companheiros, há muitas coisas a aprender para atender às necessidades deles e oferecer o melhor ambiente possível. Uma dica importante, é que tenham paciência com o novo integrante da família. O período de adaptação é uma fase de descoberta para ambos. Lembre-se, vocês estão se conhecendo e, como todo relacionamento, é fundamental respeitar o espaço e momento de cada um. Evite forçar aproximação ao notar que seu gato está assustado. Fique por perto sem fazer movimentos bruscos para que ele aprenda a confiar em você e ver que sua presença não representa uma ameaça. E a partir daí, você pode ir se aproximando lentamente conforme vai ganhando a confiança do gatinho. Acredite, vale a pena!

Boa sorte!

Palavras-chave
Compartilhar